107. Como encontrei minha tribo

Fazer parte dos Hortelões Urbanos (grupo do Facebook de pessoas que plantam comida na cidade) mudou minha vida. Estou superfeliz porque no domingo que vem (22/4) vamos fazer um pic-nic no Parque da Luz para trocar sementes, mudas e ideias. O encontro é aberto, gratuito e você está convidado!

Em fevereiro do ano passado, minha amiga Fernanda Salles colocou um recadinho no Facebook: “Agricultura urbana, aqui vou eu!”. Era o convite para uma oficina da Hubescola (www.hubescola.com.br) em que a jornalista Tatiana Achcar contaria suas andanças pelo mundo atrás de hortas em cidades.

Eu já plantava comida no quintal de casa há quase três anos, totalmente sozinha. Fui ao curso, encontrei minha tribo e fiquei amiga da Tati, que no dia seguinte criou um grupo de discussão por e-mail chamado Hortelões Urbanos, para que os participantes pudessem manter contato e trocar ideias sobre suas microlavouras. Conheci na mesma noite a Susana Prizendt, com quem embarquei em aventuras agroecológicas que desenbocaram na Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida (www.contraosagrotoxicos.org).

Meses depois, Tati me convidou para fazermos juntas uma oficina na Hubescola seguinte, marcada para julho de 2011. Juntando minha vivência doméstica às experiências internacionais da parceira, o resultado foi um encontro delicioso em que cerca de 40 pessoas mergulharam em sonhos e projetos para deixar a cidade mais verde e nutritiva. Decidimos então criar no Facebook o grupo Hortelões Urbanos (https://www.facebook.com/groups/170958626306460/).

Cada um foi convidando seus amigos verdes e hoje já são mais de 600 hortelões conectados e a movimentação diária na página é grande . Por ali rolam informações sobre cultivo, fotos orgulhosas de nossos canteiros, dicas para produzir adubo em casa, combater pragas, usar na cozinha as colheitas e muito mais. Qualquer pessoa pode participar (basta ir na página e solicitar a entrada) e qualquer participante pode trazer adesões.

No próximo domingo finalmente vamos nos encontrar ao vivo. O Encontro dos Hortelões Urbanos/7º Pic-Nic de Trocas de Mudas e Sementes acontecerá no Parque da Luz, das 10h às 14h (para quem não sabe, fica no centro de São Paulo, do lado da Estação Luz do metrô e CPTM). Teremos uma mesa para o lanche comunitário e outra para a troca de sementes e mudas. Na organização, Tati Achcar, Juliana Gatti, Daniela Cuevas e eu. Ju e Dani, que são veteranas nessa atividade (realizaram os seis pic-nics anteriores no parque) acolheram a ideia de agregar os Hortelões com o maior carinho. Para saber mais: http://the-hub.com.br/hubloja/produto.php?id=42

Na noite de 25/4 (quarta-feira), Tati e eu vamos fazer mais uma oficina: No campo, no quintal e no prato: revolução dos alimentos para um mundo melhor. A atividade também faz parte da programação da Hubescola de Outono e pretende gerar reflexões sobre a origem da nossa comida e inspirar mudanças de atitude para melhorar a saúde pessoal e planetária a partir de escolhas alimentares. Informações e inscrições: http://the-hub.com.br/hubloja/produto.php?id=53

A Hubescola de Outono já começou, com muitas oportunidades para expandir horizontes na vida e no trabalho. Dá uma olhada na programação completa: http://www.the-hub.com.br/hubescola/programacao

PS – Hortelão é um homem que cuida de uma horta. Eu posso ser chamada de hortelã e adoro! Aliás, tenho bastante hortelã plantada aqui e vivo fazendo chá e suco com ela.

One thought on “107. Como encontrei minha tribo

  1. Eu assisti a intrevista na CGB e gostaria muito de saber se aqui onde eu estou esxiste alguem deste grupo que sabe como cultiva os legumes sem agrotoxicos.

    ObrigadA

  2. Gostaria muito de fazer parte dos horteloes urbanos, para tanto gostaria de um e-mail ou telefone para que eu possa encontrar a minha “tribo”. Moro na Capital/SP, no centro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *